Filtrar Notícias


Sistema online para envio de denúncias de sementes piratas

    A ABRASEM desenvolveu um sistema, em parceria com a Coordenação de Sementes e Mudas do Ministério da Agricultura, para recebimento e encaminhamento de denúncias de sementes piratas para providências cabíveis.

    As denúncias podem ser enviadas, de forma totalmente anônima, por meio de formulário online disponível no site da Abrasem em www.abrasem.com.br/denuncias.

    Após o envio, o denunciante receberá uma chave de acesso ao status da sua denúncia e poderá acompanhar o andamento do processo. As denúncias recebidas são encaminhadas, e nome da Abrasem, ao MAPA para fiscalização.

Tipo: #linhaverde Autor: Apasem Publicado em 22/01/2020

México anuncia projeto para auxiliar na conservação do germoplasma

    O Instituto de Ecologia do México, por meio do Laboratório Nacional de Ciências da Sustentabilidade anunciou um novo projeto que visa auxiliar na conservação de sementes, e, com isso, preservar a biodiversidade das culturas e proteger o patrimônio biocultural do país.

    A proposta se assemelha a iniciativa Bioleft, desenvolvida na Argentina. A ideia consiste em uma plataforma on-line que ofereça dados e características acerca de diferentes sementes e plantas, histórico de melhorias nas variedades e estratégias de manejo e cultivo.

    “O objetivo do projeto, financiado pelo Consórcio Global para Resultados de Sustentabilidade (GCSO), é desenvolver uma rede de colaboradores interessados ​​no aprimoramento de sementes e na proteção do patrimônio biocultural no México”, comentou Ana Escalante, pesquisadora do Instituto de Ecologia.

Fonte: AM de Querétaro

Tipo: #linhaverde Autor: Equipe SEEDnews Publicado em 20/01/2020

Pesquisadores chineses criam banco de dados para arroz

    Pesquisadores do Instituto de Pesquisa em Biotecnologia da Academia Chinesa de Ciências Agrícolas (CAAS) criaram um banco de dados chamado “eRice”. A compilação dos dados se dará para obter melhores resultados e facilitar o processo de produção de arroz, principalmente para as cultivares japonica e indica, duas das principais na Ásia.

    O desenvolvimento do banco de dados só foi possível devido ao sequenciamento dos genomas do arroz, processo que ofereceu grande gama de informações, agora dispostas em uma plataforma organizada que será constantemente atualizada com novos dados.

    Ao combinar e analisar estas informações, os pesquisadores conseguirão uma compreensão melhor de todos os processos que envolvem o arroz, além de acrescentar qualidade a novos projetos relacionados a melhoramento genético.

Fonte: China News Service

Tipo: #linhaverde Autor: Equipe SEEDnews Publicado em 20/01/2020

Sequenciamento completo do genoma da canola

Um consórcio internacional dos principais líderes acadêmicos e globais de empresas de sementes dos EUA, Canadá, Europa e Israel sequenciou com sucesso o genoma da canola.

O consórcio, liderado pelo Dr. Isobel Parkin, cientista pesquisador da Agriculture and Agri-Food Canada (AAFC), e pelo Dr. Andrew Sharpe, diretor de genômica e bioinformática do Instituto Global de Segurança Alimentar (GIFS) da Universidade de Saskatchewan (USask) alcançou um marco fundamental na conclusão da montagem completa e no mapeamento dos genomas de 10 variedades diversas de canola cultivadas no Canadá, EUA e Europa. A montagem do genoma e o mapeamento completo foram feitos usando a tecnologia DeNovoMAGIC da empresa de big data genômica de Israel, NRGene.

Segundo Parkin, "este será um recurso fundamental para a pesquisa básica necessária para aumentar o rendimento e os valores nutricionais da colza/canola".

A canola é uma das principais culturas de óleo vegetal cultivada em aproximadamente 14 milhões de hectares em todo o mundo.

FONTE: ISAAA

Tipo: #linhaverde Autor: Equipe SEEDnews Publicado em 16/01/2020

Pesquisa em grãos de cereais fixadores de nitrogênio

Um grupo de pesquisa do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) avança no desenvolvimento de culturas de cereais fixadoras de nitrogênio.

Para desenvolver grãos de cereais fixadores de nitrogênio, os pesquisadores do Laboratório Voigt direcionaram genes específicos nas bactérias fixadoras de nitrogênio que operam simbioticamente com leguminosas, chamadas genes “NIF”. Esses genes causam a expressão das estruturas proteicas (aglomerados de nitrogenase) que fixam o nitrogênio do ar. No entanto, esse trabalho de engenharia genética é um grande desafio técnico, pois o caminho “NIF” é muito grande e envolve muitos genes diferentes.

Isso leva os pesquisadores a outro desafio. Os micróbios responsáveis ​​pela fixação de nitrogênio nas leguminosas são bactérias (procariontes), enquanto a expressão gênica é completamente diferente nas plantas, que são eucariotos. A reengenharia da via “NIF” em um eucarioto equivale a uma revisão completa do sistema. O laboratório da Voigt encontrou uma solução alternativa com organelas direcionadas dentro da célula - especificamente os cloroplastos e as mitocôndrias. A equipe então projetou um sistema de entrega de genes da nitrogenase usando leveduras. Eles inseriram os genes da nitrogenase nos núcleos da levedura, que são então direcionados às mitocôndrias usando fusões peptídicas e resultaram no primeiro organismo eucariótico a demonstrar a formação de proteínas estruturais da nitrogenase.

A equipe de pesquisa avançou no direcionamento da nitrogenase às mitocôndrias e conseguiu expressar um tetrâmero NifDK completo - uma proteína essencial no cluster de nitrogenase - nas mitocôndrias de levedura. Apesar desses marcos, ainda há trabalho a ser feito.

FONTE: ISAAA

Tipo: #linhaverde Autor: Equipe SEEDnews Publicado em 16/01/2020

Comissão Europeia divulga relatório de proteção dos direitos de propriedade intelectual

    A Comissão Europeia, órgão responsável por representar e defender os interesses da União Europeia globalmente, publicou nos últimos dias o mais recente relatório sobre proteção de direitos de propriedade intelectual em países terceiros. Segundo o documento, violações de propriedades intelectuais em todo o mundo custam aos cofres europeus bilhões de euros, além de contribuírem no aumento do risco de desemprego aos seus cidadãos.

    Três grupos de países foram identificados como foco de ação das autoridades europeias. São eles: 1- China; 2- Índia, Indonésia, Ucrânia, Rússia e Turquia; 3- Brasil, Equador, Argentina, Arábia Saudita, Tailândia, Malásia e Nigéria. Conforme o relatório, essas são as regiões que oferecem mais riscos e problemas em relação a proteção de propriedade intelectual. Em especial, a China oferece um grande desafio às autoridades, dominando o comércio e transporte de bens falsificados e pirataria na União Europeia.

    Também, uma das prioridades colocadas pela Comissão para os próximos anos é a proteção de propriedade intelectual de variedades vegetais. O melhoramento genético é parte essencial no desenvolvimento do futuro global, aumentando níveis de produtividade e qualidade. O melhoramento de plantas busca caminhos para que novas culturas ofereçam resistência aos mais diversos empecilhos para uma boa produção, sejam eles a seca, inundação, calor, entre outros. O desenvolvimento de novas pesquisas na área é de suma importância para a União Europeia, tornando a proteção de propriedades intelectuais nesta área um foco.

Tipo: #linhaverde Autor: Equipe SEEDnews Publicado em 14/01/2020

30ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz traz novidades

    Entre os dias 12 e 14 de fevereiro, na estação Terras Baixas da Embrapa Clima Temperado, Capão do Leão-RS, acontece a 30ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz. Organizado pela Federarroz (Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul).

    Dentre as novidades de 2020, é de se destacar a tecnologia de irrigação por pivô central por parte do Irga (Instituto Rio-Grandense do Arroz). André Mattos, coordenador do instituto, o intuito de apresentar a novidade está em mostrar “toda a economia de água, segurança de produtividade onde tem irrigação, já que é uma tecnologia pouco empregada ainda na Metade Sul, a irrigação por pivô central".

    Em outra vitrine, o Irga também trará um histórico da evolução genética dos últimos 80 anos no arroz, visto a marca de oito décadas que o instituto completa em 2020. A Embrapa também será destaque apresentando algumas cultivares no seu estande, a destacar-se o lançamento da BRS A705 e BRS 358.

No total, 20 empresas estarão com vitrines durante a 30ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz.

Tipo: #linhaverde Autor: Equipe SEEDnews Publicado em 14/01/2020

Nova versão do Plano Nacional de Sementes da Colômbia beneficia produtores

Neste início de 2020 os produtores colombianos se viram beneficiados pelo novo Plano Nacional de Sementes da Agrosavia, uma iniciativa importantíssima e que fortalecerá o Sistema Nacional de Sementes do país.

O Plano Nacional de Sementes aumentará a capacidade organizacional para produção de sementes e, principalmente, desenvolverá modelos de produção que sejam adaptados as características únicas de cada região, garantindo mais eficiência e qualidade.

O grande foco do programa se dá em oferecer qualidade nas sementes, seja da espécie que for, sementes nativas, crioulas ou melhoradas geneticamente. Segundo Julio Ramírez, líder do Plano Nacional de Sementes da Agrosavia, oferecendo produtos com qualidade, os efeitos de pragas e patógenos se limitam, aumentando números de produção e diminuindo perdas.

Mais de 23 espécies de produção serão diretamente assistidas com o novo plano, desde arroz, cana-de-açúcar, milho, feijão, entre outras, beneficiando assim pequenos e médios produtores destas culturas.

Fonte: La Republica

Tipo: #linhaverde Autor: Equipe SEEDnews Publicado em 10/01/2020

Revelando a evolução do tomate

Desde frutas silvestres, tipo mirtilo, até os grandes tomates domesticados que as pessoas desfrutam hoje, a evolução de uma das culturas mais populares do mundo tem sido um enigma até agora.

Preenchendo lacunas em sua história, um novo estudo genético sugere que o tomate moderno está mais provavelmente relacionado a frutas semelhantes a ervas daninhas no México do que a versões semi-domesticadas na América do Sul, como comumente se pensava.

Lançando luz sobre o debate "historicamente contencioso" sobre o S. lycopersicum L. var. cerasiforme (SLC), as análises dos pesquisadores indicam que esta planta se originou primeiro como uma espécie selvagem há mais de 70.000 anos, o que antecede qualquer domesticação humana.

Esse achado foi inesperado e mostra quão complexa pode ser a trajetória evolutiva da domesticação das culturas. Normalmente, a domesticação de plantas envolve o cultivo de espécimes selvagens com características desejáveis ​​e, posteriormente, aprimora essas qualidades por meio de melhoramento seletivo, mas o processo é prolongado e pode encontrar várias perturbações ambientais, incluindo mudanças climáticas, disponibilidade de água ou patógenos.

Eles acreditam que o SLC, originário como espécie selvagem no Equador, foi posteriormente cultivado por povos indígenas para criar frutas de tamanho médio. Dois subgrupos podem ter viajado para o norte, para a América Central, possivelmente involuntariamente como companheiros de ervas daninhas.

"Ainda é um mistério como os tomates se mudaram para o norte", diz Hamid Razifard (Pesquisador na Universidade de Massachusetts Amherst, EUA). "Tudo o que temos é evidência genética e nenhuma evidência arqueológica, porque as sementes de tomate não preservam bem os registros arqueológicos, acrescenta ele."

Tipo: #linhaverde Autor: Cosmos Magazine Publicado em 10/01/2020

Agricultores peruanos perderam US$8 bilhões pela proibição de transgênicos

A lei sobre a moratória dos transgênicos, ou seja, o adiamento da entrada e produção de Organismos Vivos Modificados no Peru, que está em vigor há 8 anos, causou a perda de US$ 8 bilhões para cerca de 700.000 agricultores dedicados ao algodão, milho e batata, disse o pesquisador Dr. Enrique Fernández Northcote.

“Quando os agricultores têm a oportunidade de ver o benefício das sementes transgênicas, eles as adotam, as usam. Já aconteceu na Argentina, no Brasil, no Paraguai e agora são grandes exportadores de milho transgênico”, acrescentou.

No caso do milho e da batata, explicou, foi comprovado em nível molecular que não houve problema no plantio de espécies convencionalmente melhoradas e na pureza de raças nativas usando a técnica de distanciamento que é a principal medida para impedir a passagem do pólen das transgênicas para nossas raças nativas e que tem sido aplicada há muitos anos por nossos agricultores e produtores de sementes de qualidade.

No caso da batata, o International Potato Center trabalhou em conjunto para verificar se, ao longo de muitos anos de convivência entre cultivares convencionalmente melhoradas e raças nativas, houve um fluxo de genes do primeiro para o segundo e os resultados foram negativos.

Tendo essas informações, agora é necessário colocar em prática todo o conhecimento que o pessoal do INIA possui em gerenciamento e avaliação de riscos. “Já se tem tudo para acabar com essa lei que prejudicou apenas os agricultores e a agricultura peruana. Agora temos o fortalecimento de capacidades e linhas de base que foram os objetivos desta lei de moratória, temos informações suficientes (até já tínhamos antes da lei de moratória) com os avanços que foram muito bem feitos no Ministério do Meio Ambiente”, disse ele.

Tipo: #linhaverde Autor: ChileBio Noticias Publicado em 10/01/2020

ChemChina e Sinochem fundem ativos e formam a nova holding Syngenta Group Co.

    Em comunicado enviado neste último domingo (5), a Syngenta Group Co., holding formada recentemente, anunciou as compras da ChemChina e Sinochem, formando assim um novo gigante do mercado agrícola. A ADAMA, pela participação da ChemChina em seus ativos, também fará parte do novo grupo, mas não terá mudança no seu principal acionista, mantendo status distinto da Syngenta Group Co.

    Com a formação do novo grupo, é de se esperar que a Syngenta se consolide ainda mais como um dos líderes no agronegócio mundial. A empresa já investe mais de US$ 1 bilhão anualmente em pesquisa e desenvolvimento, além de estar em constante busca para trazer inovação ao mercado, e, com a adição da ChemChina, ADAMA e Sinochem, mais ações relacionadas a pesquisa e ao desenvolvimento de novos produtos podem ser tomadas.

    O tratamento de sementes já é uma das áreas de maior investimento na empresa, e pode receber ainda mais atenção a partir de agora. A Syngenta quer proporcionar aos produtores globais qualidade e produtividade, seja na cultura que for. E para isso, o investimento no estudo e desenvolvimento de novas possibilidades no meio sementeiro é necessário.

Tipo: #linhaverde Publicado em 06/01/2020

Novo estudo pode oferecer algodão imune a duas pestes de insetos

    O algodão pode sofrer danos consideráveis com tripes e mirídeos, dois insetos que preocupam os produtores. Pensando nisso, a Bayer se encontra em processo de desenvolvimento do ThryvOn, uma cultivar que promete atacar diretamente estas duas pestes, diminuindo a necessidade de aplicação de inseticidas no algodão.

    Ainda com pendências de regulamentação, o ThryvOn oferecerá, além do controle de insetos, combate a ervas daninhas. Durante o ano de 2020, alguns testes serão feitos com o ThryvOn. Segundo a Bayer, esta tecnologia é inédita, sendo a primeira a carregar características de inseticidas no algodão.

    Fonte: AGPRO

Tipo: #linhaverde Publicado em 06/01/2020

Nova posição

    O Dr. Paulo Campante, acaba de deixar a posição de presidente executivo da ABRASEM após mais de uma década de atuação na entidade, sendo que assim irá assumir cargo executivo na, recém criada, Crop Life do Brasil. O dr. Paulo, como sua formação e experiência no negócio de sementes, abrangendo os mais diferentes aspectos de criação e desenvolvimento de cultivares, produção e, regulamentação entre outros, com certeza auxiliará a Crop Life do Brasil em suas atividades.

    Profissionais altamente capacitados e com fácil trânsito entre seus pares e autoridades são disputados no mercado e quem os possui faz força para não perde-los.

Tipo: #linhaverde Autor: Equipe SEEDnews Publicado em 06/01/2020

Genoma do fungo causador da ferrugem asiática é sequenciado

    Pela primeira vez, um consórcio internacional do qual a Bayer e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) fazem parte, levou ao sequenciamento e montagem do fungo causador da ferrugem asiática (Phakopsora pachyrhizi), a principal doença que ataca a soja brasileira. O consórcio é formado por 12 instituições públicas e privadas de vários locais, e visa dar acesso ao genoma causador da ferrugem.

    Os resultados da pesquisa permitirão uma melhor compreensão dos alvos de ação do fungo no nível do DNA, por meio de um produto químico, bem como o desenvolvimento de novas soluções que trabalhem de forma mais agressiva. Da mesma forma, será possível explorar esse conhecimento para identificar genes de fungos importantes para a patogenicidade e, assim, melhorar as técnicas de melhoramento para desenvolver cultivares com maior resistência. A descoberta pode trazer de agroquímicos para cultivares de soja, ou mesmo uma combinação de recomendações mais eficazes.

    Segundo dados do Consórcio Antiferrugem, os danos causados pela ferrugem asiática representam R$11 bilhões de prejuízos por ano/safra, o que pode resultar em perdas de até 80% em uma plantação. Uma vez identificado no Brasil em 2001, o fungo causador da ferrugem asiática foi alvo de pesquisas de laboratórios acadêmicos e empresas privadas para entender melhor sua biologia e encontrar novos meios de controlar a doença. Para o pesquisador da Embrapa, um fator limitante foi a falta de informações sobre o genoma do fungo, pois as tentativas anteriores de sequenciar e montar seu genoma falharam devido ao seu tamanho e complexidade, além da falta de tecnologias de sequenciamento de última geração.

Tipo: #focobiotecnologia Autor: Leticia Winke Dias / André Pich Brunes Publicado em 31/12/2019

Cientistas descobrem como o sorgo controla o genoma para sobreviver à seca

    Um novo estudo liderado por cientistas da Universidade da Califórnia em Berkeley revela como as plantas de sorgo controlam seu genoma, ligando e desativando alguns genes ao primeiro sinal de escassez de água e novamente quando a água retorna.

    Um enorme conjunto de dados de 400 amostras de plantas de sorgo cultivadas durante 17 semanas em campos abertos no Vale Central da Califórnia, revela que o sorgo modula a expressão de um total de 10.727 genes, ou mais de 40% de seu genoma, em resposta ao estresse hídrico. Muitas dessas mudanças ocorrem dentro de uma semana após a falta de uma irrigação semanal na planta ou depois de ser irrigada pela primeira vez após semanas sem água.

    “O sorgo é realmente tolerante à seca e, se aprendermos como é capaz de ser tão tolerante, talvez possamos ajudar outras plantas a sobreviver da mesma maneira”, disse Peggy Lemaux.

 


Tipo: #focobiotecnologia Autor: Leticia Winke Dias / André Pich Brunes Publicado em 31/12/2019

Edição de genes para aumentar o rendimento de canola

    A Cibus, uma empresa de biotecnologia que foi pioneira na edição de precisão de genes para a agricultura, identificou três características que podem aumentar a produtividade da cultura da canola e reduzir seus impactos ambientais: a abertura das vagens e deiscência das sementes, resistência à esclerotinia e controle de plantas daninhas.

    As novas características editam o genoma da canola para reduzir a tendência das vagens em abrir na pré-colheita,  construir resistência à esclerotinia, uma doença chamada mofo branco e introduzir um sistema aprimorado de controle de plantas daninhas, pois, aliados a competição por nutrientes e luz solar, podem reduzir o rendimento em até 90%.




Tipo: #focobiotecnologia Autor: Leticia Winke Dias / André Pich Brunes Publicado em 31/12/2019

SEEDnews