O Monte Roraima e seus Ensinamentos à Vida e aos Negócios

Edição XXII | 06 - Nov . 2018

Glauber Leite - ghpleite@yahoo.com.br

Certo dia, durante o café da manhã, minha esposa surpreendeu-me com um convite inusitado. Disse ela: “Vamos subir o Monte Roraima? Trekking. Vamos?”. E eu: “Como? Trekking? Monte Roraima?”. Logo depois à surpresa minha esposa explicou-me os benefícios físicos e mentais do trekking. Eu confesso que fui contagiado por seu entusiasmo e por sua paixão, mas fui convencido pelas fotos, e em especial, pelo desafio. O desafio de superar as dificuldades impostas pelo Monte Roraima. Eu pensei e disse à ela: “Estou dentro. Quero estar no topo. Quero uma foto na Pedra Maverick. Quero uma foto na Pedra La Ventana. Quero relaxar nas Piscinas Jacuzzi”.

O fato é que quando eu encarei o Monte Roraima, frente a frente, fiquei admirado, atônito, entorpecido por sua grandiosidade, majestade e imponência. Ao longo dos sete dias de caminhada (aproximadamente 120 km percorridos ou mais) – celular desligado (pela ausência de sinal), desconectado de redes sociais e do mundo, sujeito às intempéries do clima (sol, frio, chuva, neblina), privado do conforto e das facilidades cotidianas, adicionando a fadiga diária – o Monte Roraima proporcionou-me uma experiência ímpar de caminhada para o autoconhecimento e superação de desafios. Os ensinamentos do Monte Roraima e as marcas gravadas em mim (querendo ou não) extrapolaram os dias de caminhada, com significativo reflexo em minha vida pessoal e profissional, e alguns ensinamentos compartilho com vocês.