Esta seção é coordenada pela equipe de professores da área de sementes da Universidade Federal de Pelotas, objetivando esclarecer as inúmeras dúvidas enviadas pelos leitores. Mande sua dúvida para redacao@seednews.inf.br 


    Ouço muito falar sobre controle interno de qualidade, mas qual o seu real impacto na indústria de sementes? O agricultor sente a diferença ao comprar a semente?

    Controle interno de qualidade são os processos que as empresas de sementes utilizam para avaliar com mais precisão a qualidade das sementes, ou a eficiência de um determinado processo, como o de colheita, secagem, beneficiamento, tratamento de sementes, entre outros.  Registram-se geralmente o número do lote, o peso da semente, a pureza, as perdas, temperaturas, horas de trabalho, danificação mecânica, viabilidade, vigor, entre outros. O agricultor que comprar semente de uma empresa que adota um sólido controle interno de qualidade será beneficiado pela qualidade da semente, pois os lotes de semente desta empresa tendem a ser mais homogêneos. Outro aspecto diz respeito ao atendimento de reclamações – as empresas que adotam o controle interno de qualidade possuem um melhor histórico dos lotes de sementes que vende e com isso poderá melhor atender o agricultor, fundamentando uma provável má formação de estande de plantas.   



    Possuo vários silos de aeração, no entanto gostaria de saber se é possível adaptá-los para secagem de sementes.

    A aeração consiste em passar ar pelas sementes para homogeneizar a temperatura da massa de sementes. Para isso, se utiliza baixo fluxo de ar, variando de 0,2 a 1m3/min/t de semente, que em termos práticos pode-se considerar uma brisa. Por outro lado, a secagem consiste em passar ar pelas sementes para retirada de umidade, o que requer alto fluxo de ar (mais de 4 m3/min/t de sementes) e baixa umidade relativa. Para adaptar os silos de aeração para secadores é necessário, assim, aumentar o fluxo de ar que passará pelas sementes que pode ser obtido diminuindo a camada de sementes dentro do silo ou colocando ventiladores mais potentes. A melhor alternativa é em relação a camada de sementes, pois neste tipo de secagem ocorre uma frente de secagem, que com camada muito alta de sementes, torna-se problemático. Baixar a umidade relativa pode ser através de aquecimento do ar ou utilizando-se de desumidificação.    




    Percebo que as sementes soja deterioram rapidamente, especialmente com umidade acima de 13% e em altas temperaturas. Há algum meio de armazená-las por um ano e ainda manter a germinação acima de 85%?

    Nos últimos anos, a ciência e a tecnologia avançaram de tal forma que já se consegue armazenar sementes de soja por um ano, mantendo sua qualidade fisiológica. Os grandes avanços foram na melhor época de colheita das sementes, colhedoras que minimizam a danificação mecânica, sistema de secagem e a aeração com ar frio em sementes a granel. Sementes de soja colhidas oportunamente, com menos de 4% de dano mecânico, e secas até 11-12% de umidade e imediatamente resfriadas a 12-15ºC, podem manter sua qualidade fisiológica por um ano, acima de 85% de germinação. 



    Tenho observado, em alguns casos, que o percentual de emergência das sementes a campo é superior ao resultado do teste de germinação. Poderiam comentar a respeito?

    O teste de germinação é realizado em condições ótimas de umidade, temperatura, substrato e luz. Estas condições são prescritas nas regras de análise de sementes, sendo padronizadas internacionalmente. Assim, o resultado de germinação de um determinado lote de sementes realizado no Brasil será igual ao realizado na Alemanha, por exemplo. Por outro lado, o teste de emergência não é padronizado em função do tipo de solo, o contato solo-sementes, a umidade do solo e a temperatura. Entretanto, quando as condições de umidade e temperatura do solo são adequadas e a semeadura foi bem executada (um bom contato solo-semente e profundidade adequada), os resultados do teste de emergência a campo podem ser iguais ao da germinação. Caso a emergência seja superior, houve problema com a homogeneidade do lote ou com a condução do teste de germinação.

Compartilhar

newsletter

Receba nossas melhores
matérias em primeira mão!